Blogs e jornalismo digital são mídias complementares

Das múltiplas facetas que possui o jornalismo e as muitas que estão sendo construídas e desenvolvidas com a inserção do digital nesse meio, podemos destacar uma orientação midiática pautada por blogs de nicho, especializados em determinados assuntos e, com isso, formadores destacáveis de opinião, assim como podemos evidenciar blogs analíticos que necessitam de uma visão mais ampla de uma informação, oferecida pelos grandes meios.

O jornalismo digital precisa dos blogs. Os blogs precisam do jornalismo digital. Não há como trabalhar toda a chamada blogosfera sem ao menos ter como base uma gama de mídias jornalísticas cobrindo em grande escala um tema. Os blogs conseguem se focar em determinados pontos sazonais de discussão, mas muitas vezes necessitam de uma visão maximizada sobre a pauta para, com isso, construírem suas ideias e repassá-las aos seus públicos.

O mesmo acontece com o jornalismo. Ele é capaz, juntamente com inúmeros outros meios de comunicação, como emissoras de televisão, rádio, revistas, jornais e portais, de desenvolver uma amplitude analítica significativa de um fato, fazendo com que o maior número de pessoas tenha acesso ao determinado fato ocorrido. Embora a internet tenha se alastrado no número de usuários, os grandes conglomerados de mídia ainda trazem consigo grande responsabilidade no poder de divulgação de uma notícia.

Entretanto, muitas vezes esses meios já consolidados e estruturados não conseguem atingir públicos específicos, o que ocorre de forma positiva com os blogs. São tantas as editorias e seções que a mídia jornalística de grande porte muitas vezes é ineficiente para atingir um público de qualidade. Exibir uma informação para o maior número possível de pessoas nem sempre é sinal de eficiência. Cobrir dezenas de temas faz com que os grandes meios não enxerguem um público mais próximo. Como os blogs trabalham de maneira mais delimitada, isso é mais passível de ser realizado.

Confira também  Personal branding: construindo reputação com as redes sociais

Opostos se atraem

Um grande exemplo desse fato é que os blogs não conseguem observar todos os movimentos que estão sendo desencadeados com a crise da Síria ou da Líbia, seja por limitações técnicas, capital humano ou financeiro. Porém, os blogs conseguem trabalhar de forma competente o chamado jornalismo hiperlocal. Por se tratar de um ambiente micro, os meios jornalísticos tradicionais muitas vezes não conseguem nem ao menos chegar ao fato. Mídias diferentes para contextos ainda mais diferenciados.

Com isso, jornalismo digital e blogs se complementam em conteúdo, forma de atuação e segmentos de públicos justamente por serem contrários. O primeiro pauta a sociedade de maneira abrangente e serve de instrumento para muitos veículos independentes. O segundo consegue atingir massas mais específicas e, com isso, de melhor qualidade. Os dois instrumentos, juntos, são poderosas ferramentas jornalísticas com os quais a sociedade pode extrair um aproveitamento ímpar.

A customização jornalística é trabalhada quase instintivamente pelos blogs. Estreitar seu poder de atuação com o intuito de elaborar um conteúdo de qualidade e atingir um segmento de mercado propício é o que vem sendo trabalhado pelos blogueiros há um bom tempo. A soma de blogs com jornalismo digital profissional só aumenta as chances de o público adquirir uma informação ainda melhor. Como dizia o velho jargão, os opostos se atraem. Nesse caso, é a mais pura realidade jornalística.

Ton Torres

Jornalista e blogueiro. Mestre em Divulgação Científica e Cultural (MDCC) pela Unicamp. Pós-graduado em Tecnologia, Formação de Professores e Sociedade pela Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) e pós-graduado em Jornalismo Científico (Unicamp).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *