Pepsi usa viral “Para nossa alegria” em ação e divide críticas e elogios

Pepsi aposta no viral "Para nossa alegria"
Saca o vídeo “Para nossa alegria” que se alastrou pela web? Então, isso é um vídeo viral. É aquele vídeo que, de repente, toma conta das nossas vidas por ser extremamente engraçado, inusitado ou com uma pegada bem bacana, como aconteceu no case Kony 2012. A internet tem dessas coisas e quem sabe trabalhar lado a lado com ela acaba tirando ótimos proveitos, como a Itaú com o bebê das gargalhadas ou a Ruffles com o infográfico resposta.
Acontece que tem gente que força a amizade. Depois de um relativo tempo o Magazine Luíza resolveu emplacar a Luíza, do Canadá. Devido ao enorme sucesso do viral Pôneis Malditos, a Nissan tentou insistir na brincadeira e acabou se perdendo. Agora é a vez da Pepsi. Poxa, foi muito legal ver as ótimas sátiras a respeito do vídeo “Para nossa alegria”. Mas chega, né? Forçar usar o case e criar algo artificial em cima pode ir contra a todos os propósitos.
Muitos comentários negativos já estão tomando conta da página da Pepsi no Facebook, assim como muitos comentários de quem curtiu. Um dos melhores foi o do usuário Internético Cataclisma que disse: “lamento, Pepsi, mas vocês tão dando uma de pai que quer ser maneiro com os amigos dos filhos e ainda estão atrasados, pois isso é assunto do mês passado”. Comentário genial. Outro usuário, o Pedro Persichetti, afirmou que mais uma vez uma marca estragou um viral. Concordo. Quem elogiou fez os comentários mais relacionados ao trio do que com a empresa.
Segundo o especialista em marketing, Armindo Ferreira, “as empresas estão correndo para aproveitar os memes que surgem na internet, porém essa corrida pode implicar numa falta de tempo de planejamento ou uma maturidade da ideia”. O especialista comenta que “não é uma equação fácil de se resolver, mas buscar este equilíbrio vai ser um grande desafio para as empresas que estão ainda experimentando este novo timing de trabalho. A ver as cenas do próximo capítulo e do próximo meme”, completa.
Muitos dos comentários corroboram com Ferreira. Vários usuários simplesmente dissseram “próximo, por favor”. Outros, no entanto, gostaram da iniciativa e afirmaram que estão interagindo com a marca com um like. Na opinão deste blog, a Pepsi errou e demonstrou que correu para não perder o bonde, mas correu tanto que pegou o bonde errado. Ela pode conseguir os 500 mil fãs almejados? É claro! Mas a pergunta é: a que custo?
A crítica, aqui, não é quanto ao feito propriamente dito. Abusar de memes para atingir um público jovem e conectado, como provavelmente é o que consome Pepsi, é certeiro. Porém o que criticamos é quanto ao uso de um meme já batido e o risco de se obter uma imagem batida, em vez de uma descolada. De qualquer maneira, vocês gostaram ou não da ação da Pepsi? Deixem seus comentários para discutimos juntos. A opinião de vocês é muito importante :)
Por Cleyton Carlos Torres, jornalista e blogueiro.

Jornalista e blogueiro. Pós-graduado em assessoria de imprensa, gestão da comunicação e marketing e pós-graduado em política e sociedade no Brasil contemporâneo.

Deixe uma resposta

Cadastre-se em nossa newsletter

  • Receba dicas diretamente no seu e-mail
  • Fique por dentro das novidades do blog
  • Seu e-mail nunca será compartilhado com terceiros